17 de abril de 2013

Bosco Verticale - uma floresta vertical no centro da cidade de Milão

No final deste ano será inaugurado um ousado projeto de reabilitação do centro histórico de Milão: o Bosco Verticale. O projeto é do arquiteto italiano Stefano Boeri e serão plantadas 730 árvores, 11.000 plantas e 5.000 arbustos em duas torres - uma de 80m e outra 112m de altura - em 9.000m² de terraço.

Em sua equipe para este projeto estão inclusos botânicos e engenheiros que fizeram testes para determinar a resistência do vento de certas espécies de árvore, bem como encontrar um substrato leve capaz de atender às demandas nutricionais das plantas. O intuito é que a vegetação absorva a poeira e gás carbônico do ar e crie um micro-clima adequado.

Existe atualmente outros edifícios com conceito parecido, por exemplo: o The Park Royal on Pickering hotel em Singapura, The Tower Flower em Paris e Torre Huerta na Espanha. Porém os arquitetos de projetos como esse admitem que trabalhar com plantas é um desafio, pois geralmente eles tentam fazer coisas que são tão estáticas quanto possível e resistem ao desgaste, mas as plantas crescem e mudam, e as folhas caem, murcham e morrem se você esquecê-las.
O "edifício vivo" nunca está totalmente acabado. Ele vai mudar ao longo do tempo e vai exigir muito mais manutenção do que um sem plantas. Devido este fato o Bosco Verticale terá a manutenção centralizada e executada por pessoal especializado, no entanto os benefícios são muitos pois a vegetação limpa o ar e produz oxigênio, ajuda a umidificar o ar interior, reduz o escoamento de águas pluviais, o efeito de ilha de calor urbana e ajudam a isolar a acústica do edifício. E mesmo utilizando toneladas de energia (pelo simples fato de ser um arranha-céu), seus benefícios abrangerão os moradores e a vizinhança local. Stefano Boeri chama edifícios como esse de "outdoor ecológico" (em referencia ao fato de que taxistas mudaram suas rotas para passar em frente ao The Park Royal em Singapura como ponto turístico).
"reduzr umidade, absorver CO2 e outras partículas, produzir oxigênio, proteger da radiação e evitar a poluição acústica."
Clique para ampliar a imagem.
Fotos da construção do edifício e a ultima é uma Reprodução de como deverá ser após a conclusão.
Jill Fehrenbacher, editor de Inhabitat e um seguidor de tendências de arquitetura, diz que tais edifícios vão estar em toda parte, em vinte anos, e será como "tentar recriar uma espécie de jardim primordial do paraíso em nossas casas e locais de trabalho."

Em algumas cidades de alguns países existe atualmente redução de impostos para "edifícios verdes".

Leia mais no site: The Guardian - Gardening Blog por Helen Babbs

Sobre o autor: Luciana Cantanhede Estudante de Biologia, Conselheira do Cades regional em São Paulo, busca através das temáticas ambientais conscientizar e incentivar a mudança de atitudes para práticas sustentáveis. Twitter | Facebook | Email

0 comentários:

Postar um comentário

Política de Direitos Autorais

Este blog respeita os direitos autorais e busca citar sempre as fontes de onde foram retirados os textos e imagens. Peço a gentileza que avisem caso ocorra alguma violação dos direitos autorais.