11 de abril de 2014

Vídeo sobre como os lobos mudam os rios

Foto: http://www.facebook.com/ProtectingYellowstoneWolves
No vídeo abaixo é possível ver como uma pequena alteração na cadeia alimentar pode mudar drasticamente um ecossistema. Em 1918, num esforço para proteger as populações de alce, o diretor do Serviço de Parque ordenou a exterminação de pumas e de outros animais predatórios existentes no parque nacional de Yellowstone (para proteger as criações de gado e ovelhas). Os caçadores do Serviço de Parques seguiram então estas ordens e, por volta de 1926, haviam abatido 122 lobos e na década de 1940 eles já estavam quase completamente desaparecidos. Na década de 1990, o governo federal reviu a sua posição em relação aos lobos e numa decisão controversa do U.S. Fish and Wildlife Service (organização com tarefa de proteção de espécies ameaçadas), foi decidida a reintrodução de lobos no parque que ocorreu entre 1995 e 1997 com reintrodução de 41 lobos, a maioria dos quais oriundos do Canadá.



Todos sabemos que os lobos são carnívoros e por isso matam várias espécies de animais. Mas precisamos ficar conscientes de que dão vida a muitos outros.

Antes dos lobos serem reintroduzidos em Yellowstone – ficaram ausentes por 70 anos – o número de veados aumentou muito, porque não havia nenhum animal que os caçasse. Apesar dos esforços humanos para controlar os veados, eles conseguiram destruir grande parte da vegetação.

Quando o lobo foi reintroduzido, apesar de serem poucos, o seu impacto foi marcante. Primeiro eles mataram alguns veados, mas isso não foi o aspecto principal. Muito mais importante, eles mudaram radicalmente o comportamento do veado. Os veados começaram a evitar os locais do parque onde poderiam ser apanhados mais facilmente pelos lobos, como os vales, e imediatamente esses locais começaram a regenerar-se, observou-se aumento na população de salgueiros e recuperação da mata ciliar. Em alguns locais, a altura das árvores quintuplicou em apenas 6 anos. E com as árvores chegaram os pássaros e os castores.
Os lobos também mataram alguns coiotes, e como resultado o número de coelhos e ratos aumentou, o que significa mais falcões, doninhas, raposas e texugos.
Mas o mais interessante foi que os lobos mudaram o comportamento dos rios. Estes começaram a serpentear menos, pois com o crescimento da mata ciliar pois havia menos erosão.

Quando uma das espécies desaparece pode provocar graves danos no equilíbrio dos ecossistemas.
Pesquisadores da Universidade Estadual do Oregon (OSU) divulgaram um relatório que conclui que é preciso reconsiderar o valor dos predadores. Os carnívoros no topo da pirâmide, a exemplo dos lobos, são cruciais para a manutenção da biodiversidade em certos ecossistemas. E em muitos locais e países esses predadores estão ameaçados de extinção.
E quando falamos em ecologia o problema é muito mais complexo do que apenas reintroduzir novas espécies para predação. A população de lobos cinzentos está crescendo à razão de 24% ao ano, sempre aparecem discussões a respeito da caça controlada, proteção de rebanhos etc. Depois que se destrói o equilíbrio da natureza é difícil remediar os problemas e principalmente estabelecer um novo equilíbrio.
Vamos preservar e estudar melhor os impactos causados ao se tomar decisões que afetem o meio ambiente.

O vídeo é de uma palestra de George Monbiot para o TED, falando sobre REWILDING (Retorno ao natural): reintrodução de espécies na natureza para que ao passar do tempo a própria natureza reencontre um equilíbrio, ele dá enfase para predadores de topo de cadeia como reguladores desse equilíbrio. http://www.youtube.com/watch?v=8rZzHkpyPkc
Montagem original das imagens com o discurso http://www.youtube.com/watch?v=ysa5OBhXz-Q

Sobre o autor: Luciana Cantanhede Estudante de Biologia, Conselheira do Cades regional em São Paulo, busca através das temáticas ambientais conscientizar e incentivar a mudança de atitudes para práticas sustentáveis. Twitter | Facebook | Email

2 comentários:

Postar um comentário

Política de Direitos Autorais

Este blog respeita os direitos autorais e busca citar sempre as fontes de onde foram retirados os textos e imagens. Peço a gentileza que avisem caso ocorra alguma violação dos direitos autorais.